01 outubro 2017

Resenha: A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

Anya com seu olhar julgador me vendo divulgar livro-reportagem sobre fantasia mas não escrevendo meus livros :P
Editora: Metamorfose
Autora: Kátia Regina Souza
Páginas: 178

"- Falei que eu iria pensar. Reli o livro e fui vendo o que eu poderia fazer. Fui diminuindo. Notei algumas cenas que eu poderia tirar, separar, colocar no meu site como cena extra, que não eram realmente essenciais. Achei que ficou mais limpo, mais ágil e mais interessante, foi bom. Mandei o livro de volta para ele, que disse "Agora dá pra fazer o livro inteiro"." (pg. 90)


Esse trechinho é a Marcella falando sobre a publicação de Filho da Lua pela AVEC. Já já explico porque escolhi esse quote pra abrir a resenha. :3

Como começar a a falar desse livro incrível? Não sei exatamente. Mas vou tentar.

Primeiro, o livro-reportagem é da mesma autora de "O Velho Mundo" (resenha aqui), um livro que eu gostei pra caramba. Então, né, as expectativas para "A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil" estavam lá em cima.

E elas foram atendidas, minha gente! <3 p="">
O livro aborda tudo que atormenta a nós, escritores brasileiros de fantasia. Tudo. Desde a criação e o clássico problema de "EU NÃO QUERO MAIS" até a difícil tarefa de sobreviver às críticas negativas. E também a publicação, claro, tanto a tradicional como a independente, as maiores dificuldades no Brasil.

Mas vamo que vamo.

Foram muitos os autores entrevistados para o livro - teve gente do CAF (Clube de Autores de Fantasia) lindão e autores que já ganharam certo nome e espaço no mercado brasileiro como o Spohr e o Vianco e os editores da finada Tarja -, falando sobre suas trajetórias no meio literário. O ponto principal do livro é relatar e ligar as experiências de cada um - algo que a Kátia faz muito bem, obrigada - e a partir disso nós conseguimos tirar muitas lições. Como a Jana, autora de Lobo de Rua (resenha aqui), falou: "Se o escritor brasileiro de fantasia é um herói sempre em jornada (e spoiler: ele é), este livro com certeza é um mentor."

E ela tá super certa. O livro, apesar de ser um livro-reportagem, ensina muito, como a fala da autora de Filhos da Lua abrindo a resenha: a versão final nunca é como a inicial e você sempre vai cortar muito. Embora as experiências dos diversos autores que contribuíram sejam diferenciadas e nem tudo que funcionou para um funcione para outro - como a questão publicação tradicional versus independente, que varia muito -, dá pra pegar muitos conselhos sobre o que não fazer.

Exemplo: minha antissocialidade levou um tapa na cara com esse livro. O que praticamente todos os autores que conseguiram tem em comum é isso, eles iam e interagiam com quem precisassem e todo o mais que antissociais tem problemas. Ok, medo de interações sociais, terei de dar um jeito (mais um) em você. n.n'

Gostei muito do livro. É curto, mas denso em conteúdo, oferecendo um retrato bem fiel da literatura fantástica no Brasil - com esperanças, apesar de todos os percalços. Li num ritmo tranquilo, absorvendo aos poucos os conselhos entremeados e as experiências contadas. Ler no meu ritmo costumeiro provavelmente teria impedido que eu o aproveitasse por completo. E vou reler, definitivamente: é aquele tipo de livro que é bom reler de vez em quando, pra pegar mais alguma coisa que você não pegou antes.

Fisicamente, o livro é tão lindo quanto em conteúdo: a capa e as ilustrações e a diagramação são magnificas. E ponto para quem revisou, não achei erros.

Mais um trabalho excelente da Kátia, e que dessa vez é exatamente o que estamos precisando no Brasil: algo que mostre que há sim esperanças para a literatura fantástica, e dá algumas dicas preciosas para isso ao contar a trajetória de quem conseguiu abrir um espacinho. Então, colegas autores, não desistam, a gente chega lá! ;)

Classificação Final:






Você pode comprar o livro aqui

PS: Amei a dedicatória! <3 p="">